Vendedor parintinense que morreu afogado em Manaus sonhava ser cantor

Vendedor morreu afogado nas águas da praia da Ponta Negra, em Manaus, onde jogava bola com amigos

O sábado (06), véspera do 1º turno das eleições 2018, foi de consternação e tristeza em Parintins, com a notícia da morte do vendedor de banana frita, Cleiton Almeida, 18 anos, vítima de afogamento, na Praia da Ponta Negra, zona oeste de Manaus, na tarde de sexta-feira, (05). O vendedor ambulante jogava futebol na praia e teve a vida interrompida ao desaparecer nas águas do Rio Negro, quando tentou pegar uma bola fora da área delimitada para banhistas.
Cleiton Almeida brincava com dois amigos na praia. A morte do vendedor pegou de surpresa parintinenses como a advogada, Aldemara Kimura, que se sentiu de coração partido. “A matéria jornalística noticiava o desaparecimento de um jovem de 18 anos na Praia da Ponta Negra. Em destaque a foto de um rosto muito familiar. Por uma fração de segundos cheguei a duvidar, mas quando ampliei a imagem, veio a certeza que era o Cleiton. Não acreditei no que estava lendo. Meu Deus, que fatalidade, que tristeza”, lamentou.

A advogada lembra que a afeição pelo adolescente nasceu nos bastidores de eventos do Boi Garantido. Aldemara diz que Cleiton alimentava o sonho de um dia ser cantor e sempre dava um jeito de assistir todos os exercícios para aquecimento vocal do levantador de toadas, Sebastião Júnior, de quem era fã de carteirinha. “Curioso, sempre me perguntava a função de cada um deles e dizia que um dia também queria ser cantor. A pergunta mais recorrente era sobre minha relação com o levantador de toadas dele. Ele sempre me via ali, mas pouco sabia ao meu respeito”, relembrou.
Aldemara, amiga de Sebastião Júnior, disse que o ‘menino’ se tornou de ‘casa’ com o passar dos tempos. “Era inevitável não sorrir para ele, tamanha a espontaneidade e alegria. Parece metira, mas até foto ele me fazia tirar, logo eu, a representante mor da tribo dos ‘mura’. Das nossas conversas, guardo a lembrança de um ser de luz na forma de um menino humildade, educado, guerreiro, escorreitos, digno, honesto e sonhador. Receber essa notícia no final da tarde de hoje, parte meu coração. Até logo, menino batalhador”, escreveu a advogada, em tom de despedida.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here