Vereadores suspeitos de cobrarem propina têm prisão preventiva decretada em Iranduba

Os dois vereadores presos nesta quinta-feira (8) suspeitos de cobrarem propinas tiveram prisão preventiva decretada durante audiência de custódia realizada nesta sexta-feira (9) no município de Iranduba, distante 27 Km de Manaus.

Segundo o Ministério Público do Estado (MP-AM), o juiz responsável pela audiência converteu a prisão em flagrante da dupla em prisão preventiva. Durante a Operação Avarita, Kelison Dieb (PMDB) foi preso com um revólver e Jakson Pinheiro (PMN) tentou jogar o celular dentro do vaso sanitário para esconder provas, segundo a polícia. Eles foram levados ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Nesta sexta-feira (9), após audiência de custódia, os vereadores foram encaminhados para o Centro de Triagem da Secretaria do Estado de Administração Penitenciaria (SEAP). Ainda conforme o MP-AM, a dupla será encaminha para o Centro de Detenção Provisória II (CDPM II), em Manaus, onde devem ficar à disposição da Justiça.

Operação Avarita

Provas como aparelhos celulares, HDs e documentos apreendidos foram levados à sede do MP-AM. O G1 procurou as equipes dos vereadores presos, mas não conseguiu contato até esta publicação.

Com o reforço da Polícia Civil do Amazonas, foram cumpridos ainda 15 mandados de busca e apreensão, e 15 de busca pessoal no município e na capital amazonense nesta quinta-feira (8).

Segundo o Ministério Público, as investigações tiveram início em dezembro de 2018 pelos Promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público (GAECO).

Com informações do g1

você pode gostar também