-Publi-A-

Vigilância em Saúde alerta para aumento de casos de Covid-19 em jovens entre 20 e 29 anos

Eldiney Alcântara | 24 Horas

[email protected]

O aumenta dos casos do novo coronavírus em Parintins é um fato que se arrasta nas últimas semanas. Porém, a Vigilância em Saúde apresentou dados atuais que apontam para um alerta específico: a crescente de contaminação de jovens entre 20 e 29 anos. O estudo foi apresentado nesta terça-feira, 09, durante reunião do Comitê de Combate à Covid-19, no Centro do Idoso Pastor Lessa.

A coordenadora da Vigilância em Saúde, Elaine Pires, apresentou números altos de contágio nesta segunda onda da Covid-19 em Parintins. Os dados apontam para este público que não era tão grande ano passado. Segundo Eliane, nesta segunda onda a taxa de positividade para pessoas de 20 a 59 anos cresceu consideravelmente.

Dados comparativos mostram que, anteriormente, jovens apresentavam um grau de infecção bem menor e, quando infectados, tinham sintomas leves. Agora a realidade é outra. “Hoje nós continuamos com essa positividade com maior incidência nessa faixa etária, porém com sintomas graves, com internação e com agravamento de casos e na maioria das vezes com a ocorrência de óbitos”, informa.

Nesta nova fase da doença, o município registrou 5 óbitos de pessoas entre 20 e 29 anos. Também anotou 9 mortes entre pessoas de 30 a 59 anos. Números incomuns até então (2020). Elaine aponta para a possibilidade da infecção pela nova variante detectada no Amazonas, que acredita ser mais infecciosa e letal. “Tudo indica que essa contaminação se deva a essa nova cepa em decorrência da gravidade dos casos”, explica.

A coordenadora conta que a grande maioria das pessoas contaminadas nesta segunda onda é o público que não obedece as medidas de segurança em saúde. “É justamente a população que está em denúncias de festa nos finais de semana, pessoas que insistem nas caminhadas fora do horário do toque de recolher, que continuam se movimentando nas ruas com as festas clandestinas e que, além de se contaminar contaminam toda a família”, criticou.

você pode gostar também