Professora da Ufam e sua mãe tem o pescoço cortado após sofrerem acidente com linha com cerol

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – A professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam/Parintins), Hellen Picanço, e sua mãe Edir Picanço Simas, tiveram o pescoço cortado após sofrerem um acidente com uma linha com cerol (vidro e cola) usada para soltar papagaio de papel. O acidente aconteceu na manhã deste domingo (30) quando as duas trafegavam em uma motocicleta pela Rua Lindolfo Monteverde, na Baixa do São José, em frente ao curralzinho do Boi Garantido.

A professora divulgou foto de seu machucado e sua indignação nas suas redes sociais, além de registrar um boletim de ocorrência na delegacia.

“Tinha muita gente. Só senti a linha no meu pescoço, inclusive cortou até uma parte do meu cabelo”, relatou a professora.

Felizmente o ferimento de ambas não foi grave e não precisou levar pontos.

A brincadeira que é praticada por crianças, adolescentes e até mesmo por adultos já causou inúmeros acidentes graves em Parintins. Outro o caso que gerou repercussão na cidade foi a do Juan Ramos, de 20 anos, que enquanto prestava serviço de delivery para a Drogaria Itaúna, sofreu um corte no pescoço ao ser atingido pela linha com cerol quando dirigia uma motocicleta. Ele precisou levar 13 pontos no ferimento.

Ainda em maio um guarda municipal foi apedrejado na região da boca após reter o pagaio de papel e a linha com cerol de jovens durante a fiscalização do cumprimento do toque de recolher devido a pandemia do novo coronavírus, na época das 15h às 6h. O caso foi parar na delegacia e o agente também levou 13 pontos no ferimento.

você pode gostar também